Quando os dinossauros dominavam a Terra • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 11 de janeiro de 2006

Quando os dinossauros dominavam a Terra

Estocado em Pense comigo

Ontem tive de trocar o óleo do carro e fui obrigado a refletir pela centésima vez no absurdo que é, em pleno século XXI, nada ter aparecido no horizonte para substituir o motor a explosão. Nesse sentido todos os carros, mesmo as mais tentadoras Ferraris, são dinossauros: celacantos, todos eles, estranhos sobreviventes de uma tecnologia que fundamentalmente não mudou nos últimos 100 anos. O pátio de qualquer montadora é Jurassic Park.

O século XX, que nos concedeu maravilhas da tecnologia como a cacharrel e o nanochip negou-nos uma alternativa para motorizar nossos brinquedos mais queridos e caros.

Não requeiro teletransporte nem os carros voadores dos Jetsons. Não precisa ser uma tecnologia particularmente barata ou limpa. Tudo que peço é que não tenha “explosão” no nome. Uma idéia de motor que não seja, basicamente, um desastre controlado.

Qualquer coisa serve: um carro elétrico viável, um carro movido a campo eletromagnético, a acelerador de partículas, um motor de ar comprimido. Um carro homeopático movido à memória da água (ou movido a fé, dependendo da sua opinião sobre a homepatia).

A nova tecnologia não precisa gerar motores especialmente potentes. Visto que as lombadas eletrônicas são agora onipresentes e não tenho como viajar a mais de 60km/h dentro de qualquer perímetro urbano, e visto que em breve tudo que haverá é um vasto e indistinto perímetro urbano, é melhor que seja mesmo uma propulsão light. Quando reflito que meu Corsa 1.0 é mais veloz do que permitem todas as leis em qualquer lugar do Brasil, a potência deixa de parecer questão fundamental.

De certa forma, prefiro acreditar que a tecnologia já existe e foi suprimida por uma conspiração das empresas montadoras e dos conglomerados de petróleo. Prefiro acreditar que o corpo do inventor está boiando em algum banhado e todas as suas anotações e traços da sua pesquisa foram eliminados. É melhor do que considerar a alternativa.

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.


 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas armazena mais de 2400 documentos