Por isso mesmo • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 26 de maio de 2005

Por isso mesmo

Estocado em Goiabas Roubadas

Um pedante que viu Sólon chorando a morte de um filho perguntou-lhe: “Por que você chora desse jeito, se de nada adianta?” O sábio respondeu: “Precisamente por essa razão – porque não adianta”. É sabido que chorar adianta, mesmo que seja apenas para aliviar a tensão, mas o sentido profundo da resposta de Sólon ao questionador impertinente é muito clara. E estou convencido de que resolveríamos muitas coisas se saíssemos pelas ruas e expuséssemos as nossas tristezas, que provariam talvez ser uma única tristeza comum, e juntássemo-nos em chorá-las e dar gritos aos céus e clamar Deus. Isso ainda que Deus não nos ouvisse – mas ele nos ouviria. A maior santidade de um templo é que trata-se de lugar ao qual homens vão para chorar em comum. Um miserere cantado em conjunto por uma multidão atormentada pelo destino tem tanto valor quanto a filosofia. Não basta curar a praga: devemos aprender a chorar por ela. Sim, devemos aprender a chorar! Talvez seja essa a suprema sabedoria. Por quê? Pergunte a Sólon.

Miguel de Unamuno em Do Sentimento Trágico da Vida

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.

Arquivado sob as rubricas

 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas está desde 2004 sem chegar a lugar algum