O livro santo • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 11 de agosto de 2008

O livro santo

Estocado em Goiabas Roubadas

NOÉ: O livro santo

Foi necessária grande sabedoria na construção da arca, que deveria ter espaço para abrigar todos os seres da terra, até mesmo os espíritos. Apenas para os peixes não foi necessário prover lugar. Noé adquiriu a sabedoria necessária no livro que Adão deu ao anjo Raziel, no qual todo conhecimento celestial e terreno está registrado.

Enquanto o primeiro casal estava ainda no paraíso, aconteceu certa vez que Samael, acompanhado de um rapazinho, chegou até Eva e pediu que ela ficasse de olho em seu filho até que ele voltasse. Eva prometeu que o faria.

Quando voltou de uma caminhada pelo paraíso, Adão encontrou com Eva uma criança berrando e chorando muito; em resposta à sua pergunta, Eva contou-lhe que o menino era de Samael. Adão ficou irritado, e sua irritação foi crescendo à medida em que o menino chorava e berrava com mais violência. Em sua exasperação, Adão desferiu-lhe um golpe que acabou matando o garoto.

O cadáver porém não parou de chorar e lamentar-se, e não parou nem mesmo quando Adão cortou-o em pedaços. Para livrar-se da praga Adão cozinhou os restos do menino, e ele e Eva comeram-no.

Mal tinham terminado e Samael apareceu exigindo seu filho. Os dois malfeitores tentaram negar tudo; fingiram que não sabiam do menino. Porém Samael disse a eles:

— Quê! Vocês ousam mentir, quando no futuro Deus dará a Israel a Torá, que diz: “não darás falso testemunho”?

Enquanto eles assim falavam, a voz do menino assassinado fez-se ouvir do coração de Adão e Eva, e disse a Samael as seguintes palavras:

— Pode ir embora! Penetrei o coração de Adão e o coração de Eva, e jamais deixarei em paz os seus corações, nem os corações de seus filhos, nem os dos filhos de seus filhos, até o fim de todas as gerações.

Samael partiu, mas Adão ficou profundamente arrependido; vestiu-se de saco e cinza e jejuou por muitos, muitos dias, até que Deus apareceu a ele e disse:

— Meu filho, não tenha medo de Samael. Darei a você um remédio que irá ajudá-lo contra ele, porque foi a meu pedido que ele foi até você.

— Qual é esse remédio? — perguntou Adão.

Deus:

— A Torá.

Adão:

— E onde está a Torá?

Deus então deu a ele o livro do anjo Raziel, o qual ele estudou dia e noite. Passado algum tempo os anjos visitaram Adão e, invejosos da sabedoria que ele havia extraído do livro, tentaram destruí-lo através de astúcia, chamando-o de deus e prostando-se diante de Adão, apesar do protesto deste:

— Não ajoelhem-se diante de mim! Exaltem a Deus comigo; louvemos juntos o seu nome.

Porém a inveja dos anjos era tamanha que eles acabaram roubando o livro que Deus dera a Adão, atirando-o no mar. Adão procurou-o em vão em todo lugar, e a perda afligiu-o profundamente. Mais uma vez ele jejuou por muitos dias, até que Deus lhe apareceu e disse:

— Não tenha medo! Darei o livro de volta a você.

Deus chamou então Rahab, o anjo do mar, e ordenou que ele recobrasse o livro do mar e o devolvesse a Adão, e assim ele fez.

Com a morte de Adão o livro santo desapareceu, porém mais tarde a caverna na qual fora escondido foi revelada num sonho a Enoque. Foi desse livro que Enoque extraiu seu conhecimento da natureza, da terra e dos céus, tornando-se através dele tão sábio que sua sabedoria ultrapassou a de Adão. Depois de ter guardado seu conteúdo na memória, Enoque escondeu o livro novamente.

Ora, quando resolveu trazer o dilúvio sobre a terra, Deus mandou o arcanjo Rafael até Noé, levando a seguinte mensagem:

— Com isto dou a você o livro santo, para que lhe sejam manifestos todos os segredos e mistérios que ele contém, a para que você saiba como cumprir o mandado dele em santidade, pureza, modéstia e humildade. Nele você aprenderá como construir a arca de madeira de gôfer, dentro da qual você, seus filhos e sua esposa encontrarão proteção.

Noé tomou o livro e, quando passou a estudá-lo, o espírito santo veio sobre ele, e passou a conhecer todas as coisas necessárias para a construção da arca e para o arrebanhamento dos animais. O livro, que era feito de safiras, Noé levou consigo para dentro da arca, tendo-o colocado antes num estojo dourado. Durante todo o tempo em que ele esteve na arca o livro serviu-o de relógio, pelo qual ele distinguia a noite do dia.

Antes de morrer Noé confiou o livro a Sem, e este por sua vez a Abraão. De Abraão ele chegou, passando por Jacó, Levi, Moisés e Josué, até Salomão, que extraiu dele toda sua sabedoria, sua habilidade na arte da cura e seu domínio sobre os demônios.

* * *

Lendas dos Judeus é uma compilação de lendas judaicas recolhidas das fontes originais do midrash (particularmente o Talmude) pelo talmudista lituano Louis Ginzberg (1873-1953). Lendas foi publicado em 6 volumes (sendo dois volumes de notas) entre 1909 e 1928.

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.

Arquivado sob as rubricas

 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas é a peleja do Carnaval com a Quaresma