Adão era • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 15 de setembro de 2007

Adão era

Estocado em Manuscritos

2

Adão era, entre coisas, o homem mais bonito da Terra.

A beleza é uma espécie primal de graça. É muito conveniente, na verdade, que graça signifique, basicamente, beleza. Poucas coisas são tão descaradamente gratuitas quanto a beleza. Em sua forma pura, talvez a sua única, a beleza não existe condicionalmente nem como recompensa. É arbitrária, imprevista, fora de propósito. A beleza é.

Antes que pudesse estremecer com a vergonha, a coragem ou a virtude, o Homem já era bonito.

Como todo mundo, Adão precisaria de tempo para fazer vir à tona as demais facetas da sua personalidade. Não sabemos, só de olhar para a estátua de barro, se há nele força moral, inteligência, perseverança, generosidade. Mas antes mesmo da consciência, que é outra espécie de graça, antes que o Homem abrisse os olhos para a beleza do mundo e para sua própria, já estava tudo, esplendidamente, lá.

Por um momento, antes de sujar as mãos de barro, apenas Deus, sozinho, contemplou a beleza do mundo e viu que ele era bom. Por um momento, no momento seguinte, apenas Deus observou em silêncio solene a beleza de Adão.

Por um momento houve apenas graça.

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.


 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas não se responsabiliza por aparecer em alguns blogrolls ao lado do Júlio Severo