Não vai conseguir viver como nós • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 17 de dezembro de 2010

Não vai conseguir viver como nós

Estocado em Goiabas Roubadas

Um dia São Francisco, passando pelo deserto de Borgo San Sepolcro, chegou a um lugar chamado Monte-Casale, e veio até ele um jovem nobre e refinado.

— Padre — ele disse, — eu de bom grado me tornaria um de seus discípulos.

— Meu filho — disse São Francisco, — você é jovem, refinado e nobre; não vai conseguir seguir a pobreza e viver miserável como nós.

— Mas, meu pai, vocês não são homens como eu? O que vocês fazem eu sou capaz de fazer com a graça de Jesus.

Essa resposta agradou São Francisco, que, dando-lhe a sua benção, acolheu-o imediatamente na ordem sob o nome de Irmão Angelo.

Ele conduziu-se tão bem que pouco depois foi feito guardião de Monte-Casale. Ora, naquele tempo havia três famosos ladrões que causavam muito prejuízo na região. Certo dia eles chegaram ao eremitério pedindo que Irmão Angelo lhes desse algo para comer; ele, porém, respondeu com severas censuras:

— O quê! Ladrões, malfeitores, assassinos, vocês não só não tem vergonha de roubar os bens dos outros, mas querem agora devorar o sustento dos servos de Deus! Vocês não são dignos de viver, vocês que não têm respeito nem pelos homens nem por Deus, seu criador. Vão embora, e que eu nunca mais os veja aqui novamente!

E eles partiram cheios de ódio. Mas então o santo retornou, trazendo um alforje de pão e uma garrafa de vinho que lhes haviam sido dados, e o guardião contou-lhe o modo como havia expulsado os ladrões; São Francisco então censurou-o severamente por ter-se mostrado tão cruel.

— Eu lhe ordeno pela sua obediência — disse ele, — que você pegue este pão e este vinho e vá procurar esses ladrões de alto a baixo até encontrá-los, e ofereça esse alimento como que de minha parte, e ajoelhe-se diante deles e peça humildemente o seu perdão, e peça-lhes em meu nome que deixem de fazer o mal e temam a Deus. E se o fizerem, eu prometo prover por todas as suas necessidades, e providenciarei para que tenham sempre o bastante para comer e beber. Depois disso você pode voltar humildemente para cá.

Irmão Angelo fez tudo que lhe foi ordenado, enquanto de sua parte São Francisco orava a Deus pela conversão dos ladrões. Eles voltaram com o irmão, e quando São Francisco deu-lhes a segurança do perdão de Deus, mudaram suas vidas e adentraram a ordem, na qual viveram e morreram da forma mais santa.

Citado em The life of St. Francis, Paul Sabatier

Leia também:
Diante dos seus olhos

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.

Arquivado sob as rubricas

 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas lamenta quando as coisas em que acredita são defendidas com argumentos ruins