EM COMPARAÇÃO – O dinheiro compra felicidade • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 12 de setembro de 2005

EM COMPARAÇÃO – O dinheiro compra felicidade

Estocado em Sem categoria

Gente rica tende a ser mais feliz do que gente pobre, sustenta uma pesquisa recente da Universidade da Pensilvânia. A pesquisa concluiu ainda que as pessoas em geral avaliam a sua “felicidade financeira” menos a partir das coisas que o seu dinheiro pode comprar do que pela comparação da sua própria renda com a de outras pessoas.

“Ao avaliar a sua própria renda os indivíduos costumam compará-la à de gente da mesma idade. Dessa forma, o alegado nível de felicidade de cada um depende do seu desempenho financeiro em comparação ao de outros na mesma faixa etária.”

Em retrospecto, essa conclusão deveria parecer óbvia. Em algum momento do século XX, como parte da catequização do capitalismo, fomos ensinados a avaliar o quanto somos ricos não a partir do que possuímos, Os outros são a medida da nossa felicidade, e a inveja é nosso exigentíssimo motor.mas a partir de quanto os outros são mais pobres do que nós.

Embora tenhamos muito mais do que os mais ricos de vinte anos atrás, fomos ensinados a crer que o que temos não pode efetivamente nos satisfazer. Para manter o capitalismo rodando, não podemos nos concentrar em tudo de satisfatório que já possuimos, mas naquilo que possuem os consumidores mais eficazes do que nós. Os outros são a medida da nossa felicidade, e a inveja é nosso exigentíssimo motor. Afinal de contas, alguém tem sempre renda maior – alguém é sempre mais feliz.

“Ao invés de promover a felicidade integral, o crescimento contínuo da renda acaba promovendo uma guerra de consumo, em que os indivíduos consomem mais e mais apenas para manter um nível constante de felicidade.”

Certo está o Néviton, que insiste que rico de verdade é quem não tem nada a perder.


Leia também:
A ansiedade das coisas

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.

Arquivado sob as rubricas

 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas se pergunta repetidamente o que pode dar errado