Modos de se ver

Daniel Oudshoorn

Quero começar reconhecendo que falo na qualidade de ocupante da terra que o Criador deu ao cuidado dos Anishinaabe e compartilhou com as tribos Haudenosaunee e Lenape. Ergo as mãos aos cuidadores desta terra e agradeço a eles por permitirem que gente como eu viva, trabalhe, brinque e e viva nos territórios que pertencem a eles ao lado do Askunessippi e ao longo de toda a ilha Turtle.

Na qualidade de colono, beneficio-me do projeto em andamento de colonialismo como se desenrola nos territórios ocupados que recebem o nome de “Canadá” nos mapas que estudamos na escola (mapas que deixaram de mostrar colônias europeias Continue lendo →

O anti-imperialismo da Bíblia

Devemos em primeiro lugar reconhecer que as grandes celebrações biblicamente inspiradas tanto das igrejas cristãs quanto das sinagogas judaicas enfocam a opressão imperial e a libertação do povo de Deus.

A Páscoa judaica comemora o êxodo da dura servidão do faraó do Egito.

As grandes celebrações biblicamente inspiradas enfocam a opressão imperial.

Hanucá celebra a libertação divina dos judeus que resistiam à primeira tentativa de um império ocidental em suprimir o modo de vida tradicional da aliança Israel-Judá.

O Natal celebra o nascimento de uma criança camponesa como a chegada do legítimo “Salvador” de um povo que tinha sido conquistado e submetido a tributação (o censo) por César, Continue lendo →


Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas informa: rasgue na linha pontilhada