É o último momento • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 20 de março de 2009

É o último momento

Estocado em Manuscritos

59

É o último momento em que estaremos olhando para eles do lado de cá da transgressão, porque Adão e Eva estão a um milímetro de enterrarem os dentes no fruto proibido. É hora também de congelar a imagem, neste preciso instante didático, para corrigir finalmente a noção (traficada, em última instância, pela serpente) que identifica pecado com transgressão.

De tudo que já foi dito, se for necessário guardar uma única coisa, marque isto: neste momento da narrativa — depois de ouvirem a serpente mas antes de morderem a fruta — homem e mulher ainda não transgrediram, mas já pecaram.

Poderiam ter transgredido sem ter pecado, e a narrativa teria tomado os rumos que achasse necessários. Mas a serpente interviu e, ao colocar em dúvida a boa vontade divina, propôs a condenação de um inocente e dessa forma ofereceu o pecado antes de oferecer a árvore. Se os dois tivessem acreditado na serpente e, por alguma razão, se abstido castamente da árvore, o rancor (e portanto o pecado) já teria encontrado espaço no paraíso, mesmo sem a efetivação da transgressão. O homem teria pecado sem transgredir, e não seria a última vez a acontecer.

A trangressão é oferta de toda narrativa, isto é, de Deus, porque deseja que o homem aprenda e avance de forma legítima; o pecado é oferta da serpente, isto é, da natureza humana, porque não quer que o homem aprenda: não quer que seus progressos sejam reais.

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.

Arquivado sob as rubricas

 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas está desde 2004 sem chegar a lugar algum