De Merito Metricio • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 26 de janeiro de 2014

De Merito Metricio

Estocado em Pormenor

Foi publicado pela Casa Editrice Tupi Guarnieri em 1676; em cinco anos já havia sido traduzido para o italiano, o tedesco, o guató, o sardo, o holandês e a língua geral. Lido cinquenta anos depois, o tratado inspirou a devassa de meios-médios na guerrejadura de Gualmiro Pontefússido, ocasião em que foram queimados os livros-registro de todas as igrejas de Valdilá, Mucuçaba e Quixabeira, bem como os livros de história das bibliotecas de Galibó e da aldeia tipográfica de Arnaldo Pioli.

Gualmiro, em Piaça do Mugimim: “Não são livros, são cadeias de sangue. Deixe que queimem”.

LEIA ENQUANTO TEM:
Os Impropérios de Carnivaldo de Bezerros
Uma história da Forja Universal

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.

Arquivado sob as rubricas

 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas é abrigo de argumentos que se repetem