Brush up your Shakespeare • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 21 de junho de 2008

Brush up your Shakespeare

Estocado em Filmes

Este documento contém clipes de vídeo que só podem ser visualizados na página da Bacia na internet.

Keenan Wynn e James Whitmore , os gângsters gente boa de Kiss me, Kate (1953), versão para o cinema do musical de Cole Porter.

[flv:https://d3axmvvqfkltb2.cloudfront.net/movies/2008-06-21-brush-up.flv 480 360]

 

As garotas da sociedade hoje em dia curtem poesia clássica
Então para conquistá-las é preciso citar com desenvoltura
Ésquilo e Eurípedes
Mas o poeta mais unânime
Que vai deixá-las simplesmente delirando
É o poeta que é conhecido
Como o Bardo de Stratford on Avon

Tire a poeira do seu Shakespeare
Comece a citá-lo agora
Tire a poeira do seu Shakespeare
E as mulheres ficarão boquiabertas

Basta declamar algumas linhas de Otelo
E elas vão achar que você é o máximo
Se sua loira não reage quando você a elogia
Diga a ela o que Antônio disse a Cleópatra
E se mesmo assim de tímida ela se finge bem
Basta lembrá-la que Tudo está bem quando acaba bem
Tire a poeira do seu Shakespeare
E ficarão todas aos seus pés

Tire a poeira do seu Shakespeare
Comece a citá-lo agora
Tire a poeira do seu Shakespeare
E as mulheres ficarão boquiabertas

Se sua garota é um sonho de Washington Heights
Dê a ela um Sonho de uma noite de verão
Se ela reclama quando você mexe nas roupas dela
Que são roupas? Muito barulho por nada!
Se ela diz que seus avanços são insanos
Dê-lhe um chute no Coriolanus
Tire a poeira do seu Shakespeare
E ficarão todas aos seus pés

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.

Arquivado sob as rubricas

 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas informa que ao ler esta página você se compromete contratualmente a concordar com a totalidade do seu conteúdo, obrigando-se ainda a alinhar suas crenças e prioridades às nossas; subscrever todas as nossas opiniões e juízos; acalentar, fomentar, promover e maravilhar-se diante da lucidez de tudo que dizemos até o fim dos seus dias