Nenhum motivo e nenhuma recompensa

Ainda Wells, sobre Jesus:

E não era meramente uma revolução moral e social que Jesus proclamava: fica claro por um grande número de indicações que seu ensino tinha uma inclinação política muito manifesta. É verdade que ele disse que seu reino não era deste mundo, e situava-se no coração dos homens e não sobre um trono; porém fica igualmente claro que em todo o lugar e na medida em que seu reino se estabelecesse no coração dos homens, o mundo exterior seria naquela mesma medida revolucionado e renovado.

O que quer que a cegueira e a surdez dos seus ouvintes tenham deixado de captar das suas palavras, é muito evidente que não Continue lendo →

Uma ousada e intransigente demanda

Uma das consequências de termos, ao longo dos séculos, restringido a ameaça de Jesus com o enforcador da erudição cristã está em que aqueles que enxergam com verdadeira limpidez as desconcertantes exigências do ensino de Jesus encontram-se, regra geral, fora das portas dos arraiais cristãos. São agnósticos e ateus, que residem numa terrível esfera de lucidez em que o efeito domesticador da ortodoxia cristã não tem o poder de impedi-los de enxergar o que está de fato acontecendo nos evangelhos.

Dentre esses está o inquieto e irascível H. G. Wells (1886-1946), celebrado autor Continue lendo →


Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Receba por email · Leia um livro · Olhe desenhos · Vasculhe os arquivos · A amizade continua a mesma no twitter, no Instagram, no Flickr e até no Google+ · Mas não no Facebook · Assine com RSS · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas já foi atualizada com maior frequência