O custo da oportunidade

A primeira coisa é você não enganar a si mesmo; e ninguém você engana com mais facilidade do que a si mesmo.
Richard Feynman

 

Não entendemos a realidade diretamente, mas intermediada por discursos, preconcepções e filtros – óculos ideológicos que determinadas disciplinas chamam de modelos. Modelos conceituais explicam para nós a realidade mesmo quando não pensamos neles; na verdade, sua eficácia está ligada ao fato de que determinados modelos nos parecem tão naturais que não requerem reflexão. Cremos que estamos olhando o mundo diretamente, e esquecemos que estamos usando os óculos de determinada ideologia.

Aldeia Padrão

“Suponho, no entanto, que o único resultado certo [da vitória iminente dos aliados na Segunda Guerra] será um crescimento ainda mais acentuado dos grandes amalgamentos padronizados, com suas noções e emoções massificadas.”

Tolkien em 1944, lamentando profeticamente o mundo que transformaria em superprodução o seu O Senhor dos Anéis.

O Mundo Perdido, parte 2

Nada me interessa mais na viagem do que desenterrar da paisagem prédios, objetos e gestos devidamente não-contemporâneos, artigos esquecidos de um tempo mais são.

Essas marcas sólidas do passado sobrevivendo num insubstancial mundo contemporâneo trazem-me à mente, inevitavelmente, os sentimentos de Tolkien, que escreveu ao filho depois de uma visita que fez à sua cidade natal durante a Segunda Guerra:

Exceto por um desmoronamento medonho [a cidade] não parece muito danificada: não pelo inimigo. O dano principal foi causado pelo crescimento de insípidos edifícios modernos desprovidos de qualquer característica notável.

A integridade das coisas

J. R. R. Tolkien (e quero enfatizar sempre isso, eu que prefiro casas velhas de madeira) desconfiava da modernidade tanto quanto da democracia. Ele acreditava que, do mesmo modo que a democracia radical (todos os homens são iguais) era uma afronta ao que ele cria ser o caráter único do indivíduo (todos os homens são únicos e infinitamente distintos), a obsessão com a tecnologia mecanizava a alma da humanidade.

Quanto mais próximos da perfeição moral, menos mecanizados são os povos da Terra Média.

Em 1955, numa entrevista, um repórter de Nova Iorque perguntou a Tolkien o que o fazia clicar [gíria da língua inglesa para ?motivar, tocar intensamente?]. ?Eu não clico?, respondeu Tolkien, Continue lendo →


Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Receba por email · Leia um livro · Olhe desenhos · Vasculhe os arquivos · A amizade continua a mesma no twitter, no Instagram, no Flickr e até no Google+ · Mas não no Facebook · Assine com RSS · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas pode muito bem não fazer diferença nenhuma