Apreço e outras manias menores • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 12 de fevereiro de 2006

Apreço e outras manias menores

Estocado em The Net

O apreço que me tem o venerável Volney Faustini é daqueles que sentem-se à vontade para abrir a geladeira e usar o banheiro de porta aberta. Em retribuição, eu deixo.

Volney ousou recentemente me repassar uma corrente que exige da vítima que confesse cinco manias suas e outurgue a responsabilidade da mesma confissão a outros cinco sujeitos. Não pescamos nada a noite inteira e não faço normalmente esse tipo de coisa, mas como é o senhor que está pedindo…

Pra começar é preciso deixar bem claro que não tenho manias; o que tenho é critérios de aplicação periódica, que são coisa muito diversa e quase oposta. Mas vamos a eles.

  1. Instalar e desinstalar compulsivamente novos aplicativos no computador. Sempre em busca do processador de texto perfeito (talvez este?) e do Santo Graal dos softwares de anotação. As atualizações mais ínfimas me interessam.
  2. Ler mais de dez livros ao mesmo tempo e torturantemente devagar. Jorge Luis Borges dizia que os livros são uma extensão da memória e da imaginação; uso os livros basicamente com essa segunda função. Coloco o livro imediatamente de lado sempre que encontro ou me ocorre uma idéia que creio vale à pena ponderar, polir e reformular – o que acontece com freqüência mais de uma vez a cada página. Meu progresso acaba se tornando tão lento que sinto que o único modo de retomar a leitura do livro é do começo.
  3. Remoer incessantemente na cabeça enredos possíveis para contos de literatura fantástica. Exatamente como um personagem de Borges. Nascem daí pequenas abominações como Vertente e Assentamento. Devo essa obsessão também à exposição precoce aos inenarráveis contos de Lovecraft.
  4. Citar Borges o tempo todo. E quem mais eu poderia citar? Ele citou todo mundo.
  5. Nunca repassar correntes de qualquer natureza. Nem mesmo as mais inofensivas e benéficas, como esta talvez seja (portanto sintam-se homenageados, prezados leitores e vocês sabem quem são, porque meu apreço por vocês é do tipo inclusivo mas que os poupa desse constrangimento. Se quiserem retomar voluntariamente o desafio, fiquem absolutamente mais do à vontade).

Pronto, Volney. Uma mania secreta, que só você pode saber, é a de provocar por escrito e abraçar pessoalmente.

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.


 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Leia um livro · Olhe desenhos · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas lamenta quando as coisas em que acredita são defendidas com argumentos ruins