A quarta seção de «As divinas gerações» se chama «Vítimas e algozes» • A Bacia das Almas

 

Paulo Brabo, 28 de novembro de 2013

A quarta seção de «As divinas gerações» se chama «Vítimas e algozes»

Estocado em Pormenor

E não tem menos que 13 capítulos.

Alguns parágrafos de Meu testamento ambiental:

Tenho a impressão de que se a mudança fosse mais gradual a questão não seria capaz de me mover pessoalmente. Fica a dica: se quisessem arruinar o passado e o futuro sem despertar a minha indignação, os poderes deste mundo deveriam ser mais sutis.

O problema é que a paisagem natural e humana se modifica diante de mim com a sutileza (e o rastro de destruição) de um daqueles caminhões de Transformers. O ritmo de descaracterização é tão desaforado que até um cara autocentrado e distraído como eu se vê obrigado a entender que estamos brincando tanto com o presente que é impossível não temer o futuro pelo menos um pouco.

Não se trata de proteger a paisagem.

Não se trata de proteger os bichinhos e as plantas.

Trata-se de proteger modos de vida. No fim, trata-se de gente. Sim, sou superficial o bastante e não consigo pensar em termos holísticos; não consigo pensar em salvar a vida na Terra em termos genéricos. Dane-se a vida na Terra. A missão que me desespera é a de resgatar humanidades. Interessa-me estritamente a sobrevivência de gente e a sobrevivência de modos humanos de fazer que a ilusão do progresso apagou e continua a apagar.

VÍTIMAS E ALGOZES

1. Devemos ser mais sutis
2. O profeta e a revolução
3. Sobre manipular antônimos
4. O caminho da natureza e o caminho da graça
5. Somos mais sofisticados
6. O crepúsculo dos deuses
7. As profecias do homem-consumo e o esvaziamento das necessidades
8. O novo céu
9. As persistentes persuasões do desenvolvimento
10. Anotações para um romance político
11. A espada circular
12. O aniquilamento da não-violência
13. Meu testamento ambiental

 

LEIA TAMBÉM:
Aparentemente não é cedo demais para uma edição em papel de As divinas gerações

Paulo Brabo @saobrabo

Escrevo livros, faço desenhos e desenho letras. A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna.

Clique aqui para receber as publicações deste sáite por email.

Arquivado sob as rubricas

 

<
>

Depositado em juízo por Paulo Brabo · Desde 2004 · Sobre o autor e esta Bacia · Receba por email · Leia um livro · Olhe desenhos · Vasculhe os arquivos · A amizade continua a mesma no twitter, no Instagram, no Flickr e até no Google+ · Mas não no Facebook · Assine com RSS · Versões digitais dos manuscritos da Biblioteca do Monastério de São Brabo nas Índias Ocidentais · Fale comigo · A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna